Prémio Jovens Investigadores GBIF 2014 atribuído a Vijay Barve e Caoimhe Marshall

O prémio Jovem Investigador GBIF de 2014 foi atribuído a dois investigadores, Vijay Barve (Índia) e  Caoimhe Marshall (Irlanda). Este prémio, no valor de 4000€, é atríbuido pelo Comité Científico do GBiF a jovens investigadores que tenham uma investigação inovadora e original, com um potencial significativo para a ciência da biodiversidade e pelo uso criativo dos dados publicados através do GBIF.
 
Vijay Barve, é estudante de doutoramento da Fundação para a revitalização das tradições de saúde locais (FRLHT)  de Bangalore, Nó Indiano do GBIF, cujo projeto tenta perceber qual o papel das redes sociais no fornecimento de dados de biodiversidade válidos.
O seu projeto pretende investigar se as imagens partilhadas através de sites como Flickr, Facebook e Picasaweb podem ser uma fonte de dados de ocorrência de espécies, especialmente nos países em desenvolvimento, para tal possui dois casos de estudo: um que envolve todas as imagens de aves partilhadas no Flickr e outro as 85 espécies de borboletas andorinha na India, em que especialistas e entusiasta baseado em crowd-sourcing, testará a validade das identificações das espécies.
 
As imagens provenientes das redes sociais serão comparadas com os dados publicados através do GBIF para o mesmo grupo de espécies, em termos de volume, sazonalidade e plenitude das amostras ao longo das regiões. Os novos dados provenientes de fotógrafos serão publicados através da  GBIF Integrated Publishing Toolkit (IPT).
 
Consulte aqui a notícia de imprensa (em inglês).
 
Caoimhe Marshall, é uma estudante de mestrado na University College, Dublin (UCD), e está a analisar dados de biodiversidade para detetar tendências e lacunas.
 
O seu projeto tem por objetivo validar um método estatístico de estimativa da quantidade relativa de esforço gasto na recolha de dados de espécies em diferentes locais, baseando-se nos dados publicados através do GBIF. Este conhecimento quando é aplicado em bases de dados de biodiversidade de  larga escala, pode ajudar a distinguir entre as tendências de distribuição das espécies e o esforço na recolha dos dados.
 
O projeto será realizado em colaboração com o Centro Nacional de dados de Biodiversidade que hospeda o Nó Irlandês do GBIF. Focando-se em registos de plantas vasculares, contribuindo também para a estratégia de registo de plantas da Irlanda para 2014-2015, identificando áreas subamostradas para um grupo de espécies em particular e regular/aconselhar futuros registos.  O método utilizado é baseado no Good-Turing Estimator, de Alan Turing e I.J. Good usado na determinação dos códigos alemãs na segunda guerra mundial.
 
Consulte aqui a notícia de imprensa (em inglês).

 

Article Type: 

Créditos de imagens. Excepto quando declarado, os conteúdos deste sítio são licenciados através de Creative Commons Attribution CC BY Licence .
A utilização de conteúdos GBIF está sujeito ao Acordo de Utilização de Dados GBIF, e à Política de Privacidade.
O Nó Português do GBIF é acolhido pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA),
com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).