Folha informativa n.º 10, Dezembro 2018

Nó Português do GBIF
Folha informativa nº10, dezembro de 2018
Vencedora do prémio Jovens Investigadores de 2018 é portuguesa e investiga o impacto das alterações climáticas na distribuição de macroalgas, ao longo da costa Atlântica da Península Ibérica
Vencedora portuguesa Raquel Gaião
Raquel Gaião Silva é aluna de mestrado em biodiversidade e conservação marinha da Universidade do Algarve, e uma das duas vencedoras do prémio GBIF Jovens Investigadores (2018), destacando-se por ser a primeira vencedora portuguesa deste prémio. A estudante acabou de completar a sua dissertação para o EMBC+, e sua investigação utiliza registos de ocorrência de espécies da rede GBIF.org e de outras fontes, para examinar questões relativas ao aumento da temperatura dos oceanos e da distribuição de macroalgas ao longo da costa Atlântica em Espanha e Portugal, que vai do Golfo da Biscaia até o Estreito de Gibraltar. Os resultados das investigações produzidos por Raquel poderão beneficiar investigadores, tomadores de decisão e residentes costeiros, dentro e fora das áreas de estudo. Além disso, ressalta-se a importância destes estudos para a conservação da biodiversidade e para a promoção do uso e mobilização dos dados de coleções científicas e de acesso aberto, no mundo todo. Mais informações aqui.
Portal GBIF.org disponibiliza interface em português
A rede do GBIF.org está a trabalhar para ampliar a gama de idiomas disponíveis para os utilizadores do mundo todo. Actualmente, é possível aceder ao sítio e optar pelo português, para além do inglês, francês, espanhol e japonês. A versão na língua portuguesa, está disponivel e permite que os utilizadores da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP), possam trabalhar na plataforma utilizando sua língua nativa. Mais informações aqui.
Plano de formação GBIF Portugal 2019: que curso gostaria de fazer?
O GBIF Portugal está a planear para o ano de 2019, uma série de cursos de formação, com o intuito de promover a aprendizagem sobre a partilha e a mobilização de dados de biodiversidade através do GBIF, a gestão dos dados através de ferramentas existentes, incluindo componentes de qualidade de dados e de georreferenciação. Para nós, é fundamental saber a opinião de todos, de modo a identificar as prioridades de formação. Deste modo, solicitamos a sua colaboração no preenchimento deste questionário, até ao final deste mês de dezembro, de forma a responder às expectativas e necessidades para as próximas edições de cursos oferecidos pelo GBIF Portugal. O tempo médio de preenchimento deste questionário é de apenas 2 minutos. Agradecemos desde já pela sua participação!
Chamada para candidaturas a bolsas para Missões Científicas de Curta Duração:STSM – Short Term Scientific Missions
A ação MOBILISE: Mobilising Data, Policies and Experts in Scientific Collections está com uma chamada aberta, com o foco em cientistas em início de carreira (estudantes de doutoramento e investigadores pós-docs), curadores e gestores de coleções de história natural e gestores de dados de geo- e biodiversidade, em particular de instituições que não possuem políticas e práticas bem estabelecidas para a mobilização de dados, digitalização de coleções de história natural e curadoria de dados. É dada preferência a cientistas de Inclusiveness Target Countries (ITC), sendo que Portugal está incluído nesta lista.​ As missões deverão ter uma duração de 7 a 14 dias e decorrer no período entre 1 de fevereiro e 15 de abril de 2019. Mais informações acerca das condições das Missões Científicas de Curta Duração (STSMs) e do processo de candidatura podem ser consultadas aqui. Os cientistas interessados devem submeter a sua candidatura até dia 15 de dezembro.
Nó Português do GBIF, Instituto Superior de Agronomia, 2018.
Remover subscrição desta newsletter.

Créditos de imagens. Excepto quando declarado, os conteúdos deste sítio são licenciados através de Creative Commons Attribution CC BY Licence .
A utilização de conteúdos GBIF está sujeito ao Acordo de Utilização de Dados GBIF, e à Política de Privacidade.
O Nó Português do GBIF é acolhido pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA),
com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).