Fortalecendo a comunidade de práticas dos Living Atlases

Vídeos disponíveis com legendas em português.

A comunidade Living Atlases designa dois novos coordenadores e lança novos tutoriais em vídeo para os utilizadores da plataforma

O Secretariado do GBIF financiou duas posições de meio tempo na rede para ajudar no desenvolvimento de uma crescente comunidade de prática em torno dos Living Atlases.

Vicente Ruiz Jurado, do Atlas of Living Spain, atuará como coordenador técnico, com a responsabilidade de apoiar os programadores, melhorando a documentação técnica e construindo um roteiro partilhado. Marie Elise Lecoq da VertNet será a coordenadora da comunidade, supervisionando a comunicação, explorando e documentando modelos de governança e criando os módulos de treinamento necessários.

Para marcar o início das atividades da nova equipe, a comunidade está lançando dois tutoriais em vídeo com o objetivo de permitir que os utilizadores finais em todo o mundo aproveitem ao máximo os Living Atlases. Os vídeos são um dos principais resultados de um projeto para melhorar a documentação dos Living Atlases, financiados pelo Programa de Apoio ao Aprimoramento de Capacidade (CESP) de 2018.

O primeiro vídeo demonstra a estrutura de um Living Atlas, incluindo como pesquisar, refinar e descarregar dados de biodiversidade, enquanto o segundo vídeo se aprofunda nos componentes espaciais do Atlas, incluindo o módulo de regiões que permite ao utilizador encontrar espécies registadas em uma região definida. Ambos os vídeos estão disponíveis em inglês com legendas em francês, espanhol e português.

Os Living Atlases baseiam-se em uma plataforma de software originalmente desenvolvida pelo Atlas of Living Australia (ALA), uma infra-estrutura de informática que permite a agregação de dados de biodiversidade de múltiplas fontes e suporta acesso integrado e uso de informações biológicas e ambientais. Desde 2013, com a ajuda da ALA e do GBIF, os membros da comunidade organizaram sessões de treinamento técnico e foram apresentados em várias reuniões internacionais, como o GEO BON e o TDWG. Como resultado desses e de outros esforços, um número crescente de Nós do GBIF e outras organizações implementaram a plataforma; 16  Atlas estão agora em produção em todo o mundo, com o trabalho em andamento em outras 13 instalações. O portal da comunidade oferece uma lista atual e completa, juntamente com atividades de destaque em toda a comunidade.

Na reunião do Secretariado do GBIF de 2018, em Kilkenny (Irlanda), os representantes do Living Atlas prepararam e adotaram um compromisso coletivo para o desenvolvimento de uma Comunidade de Práticas do Living Atlas (CoP), com os seguintes objetivos:

  • Aumentar o nível de desenvolvimento e recursos partilhados;
  • Desenvolver um roteiro e uma visão partilhados para a plataforma Living Atlas;
  • Desenvolver e manter serviços de treinamento, documentação e serviços de suporte;
  • Estabelecer mecanismos de assistência a países individuais para a adoção da plataforma Living Atlas;
  • Desenvolver um modelo de governança aceitável para a comunidade.

Os interessados ​​nas últimas atividades da comunidade podem aprender mais através de três apresentações planeadas para a conferência biodiversity_next, que realizar-se-á em Leiden (Holanda), em outubro de 2019.

Article Type: 

Créditos de imagens. Excepto quando declarado, os conteúdos deste sítio são licenciados através de Creative Commons Attribution CC BY Licence .
A utilização de conteúdos GBIF está sujeito ao Acordo de Utilização de Dados GBIF, e à Política de Privacidade.
O Nó Português do GBIF é acolhido pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA),
com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).