O Uzbequistão junta-se ao GBIF como participante associado e eleva o número total de participantes formais para 100

A República do Uzbequistão tornou-se um participante associado do GBIF e o primeiro país da Ásia Central a aderir à rede. Assim, eleva o número de países participantes no GBIF para 62, e o número total de participantes formais para 100. O presidente da Academia de Ciências do Uzbequistão assinou o Memorando de Entendimento do GBIF em nome do país. A Academia também hospedará a delegação e o nó nacional do GBIF.

O Uzbequistão é a terceira nação a juntar-se ao GBIF após o envolvimento no programa BioDATA, liderado pela Noruega, seguindo a Bielo-Rússia e a Arménia como exemplos que demonstram a eficácia desse projeto em estabelecer fortes esforços regionais através da colaboração internacional no ensino superior.

"O ingresso no GBIF é significativo para o Uzbequistão porque o país é reconhecido como líder em pesquisa florística e fitogeográfica na região da Ásia Central", disse Tojibaev Sh. Komiljon, Diretor do Instituto de Botânica da Academia de Ciências do Uzbequistão. 

"A entrada do Uzbequistão no GBIF é um marco emocionante para a rede", disse Tim Hirsch, vice-diretor do GBIF e chefe da equipa de participação e envolvimento do Secretariado. "Como o primeiro país da Ásia Central a juntar-se à nossa comunidade, representa um importante passo para expandir a participação do GBIF em regiões onde até recentemente havia pouca ou nenhuma partilha de dados de biodiversidade abertos. Isso reflete o envolvimento recente e sustentado com instituições na Europa Oriental, no Cáucaso e na Ásia Central, e demonstra as grandes oportunidades para preencher lacunas, tanto em dados quanto na participação do GBIF nessas regiões. "

Atualmente, os utilizadores do GBIF.org podem aceder a 78.000 ocorrências de espécies no Uzbequistão, inseridas poreditores na Rússia, Colômbia, EUA e outros sítios. Até hoje, 40 estudos revisados ​​por pares utilizaram dados publicados por instituições uzbeques para análises científicas, cobrindo tópicos que vão desde a biogeografia aos efeitos das alterações climáticas.

Leia a notícia na íntegra aqui.